MENU
impress decor brasil tendência

06/10/2016 Comments (2) Views: 2063 Design, Tendência

O que é necessário para ser um designer especificador de tendências?

Para responder a pergunta título dessa matéria, entrevistamos dois profissionais da Impress Decor Brasil que trabalham diretamente com a especificação de tendências, na hora de lançar e comercializar papéis decorativos para o setor moveleiro. São eles: João Martinez, managing director, e Juliana Weiss, designer de produto. Eles deram suas opiniões sobre a importância do designer especificador de tendências ao mercado, quais tipos de conhecimento e formação este profissional deve ter, como é o processo de trabalho e muito mais – cada um com sua visão e experiência nas áreas de atuação. Confira!

Primeiro, quais requisitos são necessários para ser um designer de produto da Impress?

João Martinez: Acredito que falamos de um/uma profissional (Designer), que tenha preferencialmente formação acadêmica em Design, constantemente envolvido com os diferentes segmentos que cuidam da moda. Seja no setor de decoração, mobiliário, vestuário, cores do momento, etc.. Tudo soma um pouco para que as especificações sigam um caminho que se aproxime ao máximo às tendências vigentes.

Além disso, esse profissional deve estar totalmente atualizado. Seja visitando o mercado, as feiras nacionais e internacionais, lendo muito, observando artigos e até mesmo ouvindo e lendo o que outros profissionais da mesma área estão comentando, lançando, informando. Informação é tudo.

Juliana Weiss: Conhecer as particularidades de cada um dos nossos clientes diretos e, fundamentalmente, conhecer o que os moveleiros, marceneiros, arquitetos, decoradores e designers de interiores estão propondo em seus projetos e produtos é fundamental. Afinal, estes profissionais estão mais perto da ponta da cadeia, próximos ao usuário, ao consumidor. São nossos clientes indiretos. E conhecê-los é fundamental para orientar nossas pesquisas para que possamos ofertar produtos mais apropriados. Alinhar mercado com tendência, design e consumo. É uma tarefa muito subjetiva e de fundamental importância para o bom desempenho.

Tendências: A moda tem papel fundamental no lançamento de estilos

Tendências: A moda tem papel fundamental no lançamento de estilos

Que tipo de bagagem cultural e educacional esse profissional deve ter?

Juliana: Toda bagagem de experiências diversas é sempre muito bem vinda. Como nosso trabalho afeta diretamente a área comercial e fabril é imprescindível conhecer os produtos e suas aplicações. Além de compreender como o produto dos nossos clientes se comporta numa linha de produção, montagem, sistemas construtivos, etc. O conhecimento em engenharia, arte, design, marketing acabam fazendo parte da nossa rotina. Pode parecer antagônico conhecimentos tão distintos entre si. Conhecer como se dá o crescimento de uma árvore, como se configuram os detalhes da madeira, as particularidades de cada espécie, como os marceneiros e fabricantes já trabalharam, estão trabalhando e como ainda podem explorar; toda a cultura de outros materiais como as pedras, os aços, a cerâmica. Tudo isso junto forma nosso conhecimento e nos indica o momento apropriado para ofertar algo totalmente novo ao mercado ou algo com inspiração clássica, por exemplo.

Podemos considerar esse profissional um Cool Hunter?

Juliana: A figura do Cool Hunter capta micro-tendências e macro-tendências. A nossa função, além de captar tendências, é identificar o momento que vai acontecer a tendência e traduzir para nosso público. Algumas tendências se aplicam mais rapidamente, outras porém têm maior dificuldade, seja por questões culturais ou momentâneas. Esse ponto exato para entrar no nosso mercado só com muita pesquisa e conhecimento de causa. É um processo de conhecimento que vai se construindo. O Cool Hunter é fundamental para nos nortear. Para nos sinalizar que não, nunca é momento para relaxar, sempre algo novo está por vir. Temos que estar preparados.

Em que momento ele está preparado para identificar tendências do segmento moveleiro?

Martinez: Eu diria que o aprendizado é rápido, entretanto, acredito que para ter total confiança de trabalho, este profissional precisa de 1 a 2 anos de experiência em nosso mercado. Até porque trabalhamos com vários mercados e não apenas o brasileiro. Temos que considerar que cada mercado possui a sua característica e em muitos casos elas são bem diferentes. O público alvo tem muitas diferenças. Isto leva tempo para absorver completamente.

A reciclagem aqui novamente é muito importante. Para que este profissional possa trabalhar com total confiança, ele/ela precisam se reciclar muito.

Como é esse processo de identificação de tendências de forma geral? E no setor moveleiro?

Juliana: Sem sombra de dúvidas com pesquisa. Entender a sociologia e o humanismo. Além da busca pela influência européia consideramos questões culturais também. Cada vez mais o design e a decoração de interiores estão mais internacionais como nunca estiveram antes, por isso é preciso buscar as particularidades de cada região. Essa medida nos possibilita emplacar personalidade nos nossos projetos e propostas. Um produto que vai ser usado no Brasil e no Chile, por exemplo, mesmo inspirado em Milão, podem ser aplicados de forma antagônica. É preciso conhecer os mercados e as culturas.

Por último, qual a importância desse profissional para o mercado?

Martinez: Trata-se de um profissional imprescindível para todos os setores. Hoje, sem sombra de dúvidas, o design está inserido em todos os contextos.

Juliana: É notório que cada vez mais o design é que diferencia produtos e empresas, por isso é um profissional estratégico. Ele é que detém dados de várias fontes e consegue traduzir para um novo sucesso no mercado. Seja em produto, em nova superfície ou em uma nova forma de comunicar ou abordar os consumidores, os clientes com algo já existente. Podemos classificar como um guru.

Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedInPin on Pinterest

2 Responses to O que é necessário para ser um designer especificador de tendências?

  1. flávia disse:

    Jony e Ju,

    A matéria sobre design ficou excelente!

    Parabéns.

    Bjim,

    Flávia

  2. Bartira Engleitner disse:

    Abri meu email sem imaginar o que encontraria e UALÁ, li tudo que sempre sonhei.
    Me formei em Engenharia Civil e até trabalhei um tempo na área mas queria mais e optei por uma Pós em Engenharia de Produção sonhando com designer de produto, no caso mobiliário e também trabalhei um tempo mas, o mercado não ofereceu as oportunidades que imaginei e parti para um outro trabalho como Corretora de Imóveis e acabei me encantando com um projeto do Marcelo Rosenbaum que criou um Stand de Vendas em Containers para o Ed. Brasil em São Paulo. Desde então leio e pesquiso muito sobre o assunto na esperança de um dia poder trabalhar.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *